sexta-feira, 26 de junho de 2009

O dedo do tempo no barro da vida (Vander Lee)



O dedo invisível do tempo
Modelando nosso destino
No barro da vida é um velho
Girando, virando menino
Sonhando sons, criando asas
E as asas pisando o céu
Entrando e saindo das casas
Brincando qual pipa de papel
Driblando dragões e cometas
E contando histórias pra lua
Brincando de roda com os planetas
Bem ali, na porta da rua
E a tarde fugindo sem pressa
Na velha cidade da luz
Presente no sol que atravessa
Futura na estrela que conduz
O dedo invisivel do tempo...

(Vander Lee, grande poeta e musicista mineiro)



2 comentários:

  1. Grande texto do Vander LEE. Aliás, gostei do seu poema sobre a "Rua da Aurora"... Valeu camarada!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso... tal qual tudo que vem de Minas, uai!

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br